Joseph F. Engelberger: pai da robótica

Por , 16 de Dezembro de 2015 a las 07:00
Joseph F. Engelberger: pai da robótica
Sin categoría

Joseph F. Engelberger: pai da robótica

Por , 16 de Dezembro de 2015 a las 07:00

Aquele que é considerado pai da robótica e criador da primeira empresa que vendeu braços robóticos a fábricas de carros, Joseph F. Engelberger nos deixou aos 90 anos.

Joseph Frederick Engelberger nasceu em 1925 no bairro nova-iorquino do Brooklyn. Eram os felizes anos 20, quando uma excitada sociedade de consumo se esparramava nos Estados Unidos impulsionada por empréstimos e compras parceladas. Engelberger estudaria na Universidade de Columbia e após um período de trabalho assalariado se lançaria a criar a primeira empresa que comercializou robótica. Em 1º de dezembro, ele morreu com 90 anos, depois de protagonizar a explosão da robótica industrial e testemunhar de primeira mão a chegada desta tecnologia para o mercado de consumo.

Engelberger tinha quatro anos quando aconteceu a quebra da bolsa em 29. Talvez as circunstâncias econômicas fizessem com que sua família se mudasse para Connecticut, pois ali foi onde o futuro engenheiro cresceu enquanto milhares de pessoas vagavam em busca de qualquer trabalho. Para fazer o curso, voltou para Nova York e saiu da Universidade de Columbia em 1946, com um título debaixo do braço e uma perspectiva animadora para um jovem formado, em plena reconversão da economia de guerra.

Passou um tempo trabalhando no campo da engenharia, mas depois do encerramento da sua divisão Engelberger foi parar no olho da rua. Não pensou muito no que fazer da vida. Havia conhecido recentemente George Devol, que dois anos antes tinha projetado e obtido uma patente para um braço robótico industrial.

Ambos começaram a trabalhar e fundaram a empresa Unimation, a primeira empresa da história especializada em robótica. O projeto de Devol foi melhorado e a empresa produziu seu primeiro braço robótico. Eles conseguiram vendê-lo, mas, com a operação, perderam US$ 35.000. Mas a venda lhes abriria o caminho para o futuro. O cliente que tinha se interessado por seu produto não era outro senão a General Motors.

Engelberger2

A produção nas fábricas até a entrada da robótica era feita por um exército de trabalhadores

O gigante da automação instalou o braço robótico em uma de suas fábricas em Nova Jersey. O ano era 1961 e se aproximava uma transformação integral no modelo de produção da indústria automobilística. Depois da General Motors os braços robóticos foram comprados pela Chrysler e pela Ford Motor Company. A empresa de Engelberger foi capaz de otimizar os custos de produção e obteve retornos lucrativos para a empresa.

No início dos anos 80, decidiu vender a Unimation e Engelberger deixou a empresa, se bem continuaria ligado ao mundo da robótica. Suas palestras incentivavam a investigação neste setor, impulsionou a adoção da tecnologia pela NASA e falou em favor de seu uso em casa.

Engelberger3

Engelberger foi um dos promotores do uso da robótica para a NASA

Seu trabalho como divulgador foi atravessado por outro empreendimento, logicamente relacionado à robótica, que também terminou em aquisição. Engelberger em 1997 recebeu o Prêmio Japão, concedido por uma organização deste país em reconhecimento dos avanços notáveis em ciência e tecnologia. A nação japonesa deve parte de seu “milagre japonês”, ao pai da robótica, dado que o País do Sol Nascente investiu fortemente nesta tecnologia depois de saber sobre os desenvolvimentos nos Estados Unidos. E precisamente a incrível expansão da economia japonesa começou no início dos anos 60, coincidindo com o lançamento dos primeiros robôs industriais.

Imagens: Wikipedia, II e NASA Johnon

Texto Anterior

6 jogos para aprender a programar

6 jogos para aprender a programar
Próximo Texto

As almôndegas, o cardápio que salvará nosso futuro?

As almôndegas, o cardápio que salvará nosso futuro?

Recomendados