Siga-nos nas redes sociais:
Futuro
20 de Novembro de 2016 a las 12:00

Estes postes inteligentes conseguem eletricidade da passagem dos pedestres

Estes postes inteligentes conseguem eletricidade da passagem dos pedestres

Estes postes inteligentes conseguem eletricidade da passagem dos pedestres

Por , 20 de Novembro de 2016 a las 12:00

A startup EngopPlanet projetou um sistema que pode gerar energia para fazer funcionar um poste com tecnologia solar e a movimentação dos transeuntes.

A proposta da EngoPlanet tem as miras postas no futuro. Existem muitos campos que precisam experimentar uma transformação nos próximos anos, se queremos combater a mudança climática. O da infraestrutura urbana é um deles e, dentro deste, a iluminação das ruas. O projeto desta startup nova-iorquina contempla postes que recebem sua energia de uma placa solar e da movimentação dos pedestres.

Os postes de EngoPlanet são sistemas autônomos, não estão conectados à rede elétrica. Estão pensadas de tal forma que podem subsistir com energia renovável, uma bateria e uma luz LED, cujo consumo é moderado.

A startup já instalou seu produto em algumas cidades dos Estados Unidos, como Las Vegas ou Philadelphia. O sistema para carregar a bateria destes postes inteligentes se baseia em um painel fotovoltaico colocado sobre a luz. Este método funciona durante o dia, mas quando anoitece ou o céu está nublado os passos dos transeuntes são usadas para recarregar a bateria. Para isto se usam ladrilhos conectados a uns microgeradores, que captam entre 4 e 8 volts por cada passo, dependendo da pressão.

Esta energia se armazena na bateria individual de cada poste. O objetivo é ter eletricidade durante as 24 horas do dia. Uma das cidades onde o produto da startup está presente, Las Vegas, oferece um desafio particular, pois ali a iluminação é constante e massiva.

Estes posts também geram a eletricidade necessária para fazer funcionar câmeras de segurança e pontos WiFi. A ideia aqui é prestar outros serviços aos pedestres. E ainda tem mais. Também contam com sensores para monitorar a qualidade do ar e até outros dados do âmbito “smart analytics”, que poderiam estar relacionados com o número de pessoas que passam por um determinado ponto.2

O sistema de EngoPlanet permite reduzir as emissões de CO2, pois a iluminação procede de uma fonte de energias renováveis. E ainda se trata de sistemas autônomos que não precisam de uma infraestrutura de rede elétrica para funcionar. Desta forma é possível iluminar locais isolados ou em zonas com poucos recursos. De fato o projeto da startup nova-iorquina contempla iluminar certas zonas desatendidas da África.

Imagens: EngoPlanet

Sobre o Autor

Pablo G. Bejerano

Pablo G. Bejerano

Periodista especializado en nuevas tecnologías. Interesado en todo lo que tenga que ver con Internet y sus posibilidades para cambiar la vida de las personas.
Mais artigos do autor »