Asia Super Grid: o projeto de renováveis entre Japão, China, Coreia e Rússia

Por , 19 de Novembro de 2016 a las 12:00
Asia Super Grid: o projeto de renováveis entre Japão, China, Coreia e Rússia
Futuro

Asia Super Grid: o projeto de renováveis entre Japão, China, Coreia e Rússia

Por , 19 de Novembro de 2016 a las 12:00

A rede Asia Super Grid tem intenção de conectar Japão, China, Coreia do Sul e Rússia através de uma rede elétrica e usinas de energia renováveis.

Quando em março de 2011 Japão se viu assolado por um tsunami que causou quase 25.000 vítimas entre falecidos e desaparecidos, outro problema se desencadeou. Vários reatores da central nuclear de Fukushima sofreram danos que puseram em alerta a sociedade e reabriram a polêmica sobre este tipo de energia. O primeiro ministro japonês declarou que era necessário lutar contra a “dependência da energia nuclear”, enquanto que na Alemanha o programa para fechar as centrais nucleares foi acelerado.

No mundo privado ocorreram mais coisas. Masayoshi Son, CEO do conglomerado japonês Softbank, pensou substituir a energia nuclear por alternativas renováveis e limpas. Um projeto não carente de ambição.

Foi assim como nasceu Asia Super Grid. Seu promotor ideou o projeto como uma rede elétrica enorme que conectasse centrais de energia renovável em vários países da Ásia e pudesse transmitir energia aonde fosse necessária.

Recentemente, Son conseguiu que representantes do Japão, China, Coreia do Sul e Rússia assinassem um memorando de entendimento para estudar a viabilidade de criar uma rede de transmissão de eletricidade no nordeste asiático. A ideia é aproveitar as boas condições para as energias renováveis que existem em certas áreas, como desertos, e distribuir a energia aos centros de consumo. Desta forma, tanto a geração de energia como sua transmissão se feriam a um custo baixo, de forma que os preços seriam competitivos até mesmo com a eletricidade procedente de instalações térmicas ou nucleares.

Son criou a empresa SB Energy, a partir da qual se orquestrou todo o projeto Asia Super Grid. O plano inicial era criar principalmente instalações de energia eólica, ainda que também se contemple a energia solar, no deserto de Gobi (Mongólia) e fazer o enlace através de cabos de alta tensão com Coreia do Sul, Japão, China e Rússia.

asiasupergrid2

Olhando para ainda mais longe, se contemplou a introdução de Taiwan, Tailândia, Filipinas e Índia nesta Asia Super Grid. Ainda que o acordo, de momento, foi assinado entre os quatro países com economias mais sólidas, o certo é que SB Energy alcançou um acordo com a empresa Newcom, da Mongólia, para construir centrais eólicas no Gobi. Ao mesmo tempo, a firma japonesa selou outro pacto com uma empresa indiana e outra taiwanesa para construir uma instalação solaar de grande capacidade no oeste da Índia.

Imagens: …-Wink-… y Japan Energy Renewable Foundation

Texto Anterior

Smart City e seus novos processos

Smart City e seus novos processos
Próximo Texto

Estes postes inteligentes conseguem eletricidade da passagem dos pedestres

Estes postes inteligentes conseguem eletricidade da passagem dos pedestres

Recomendados