Lucid Motors: novos carros elétricos que surgem no Vale do Silício

Por , 2 de Novembro de 2016 a las 19:00
Lucid Motors: novos carros elétricos que surgem no Vale do Silício
Futuro

Lucid Motors: novos carros elétricos que surgem no Vale do Silício

Por , 2 de Novembro de 2016 a las 19:00

Parece que os carros estão deixando de ser monopólio dos fabricantes automotivos tradicionais. Lucid Motors é outra startup que começou a fabricar carros elétricos.

Se Detroit se converteu no século XX em símbolo dos carros e das empresas automotivas, em breve talvez tenhamos outro lugar como o berço dos automóveis. Nada mais é do que o Vale do Silício. Tesla foi a primeira, mas na sua esteira surgiram outras startups que fabricam carros elétricos. Seu forte é uma tecnologia de baterias sólidas e um sistema de informação e entretenimento (o chamado infotainment) sofisticado.

Lucid Motors é o último nome que ecoa no Vale do Silício relacionado com o mundo do motor. Esta empresa deve ainda apresentar publicamente seu primeiro veículo, do qual já deixou vazar alguns detalhes. Trata-se de um sedã com uma autonomia de uns 480 quilômetros, embora também contemplem lançar uma versão que poderá percorrer 640 quilômetros sem recarregar.

Assim explicaram os diretores da empresa ao portal CNET em uma visita aos seus escritórios. O carro que será lançado pela empresa se enquadra no setor de alta gama. Na sua web já utilizam a palavra ‘luxo’ para definir seu produto. Não restam dúvidas de que a empresa olha para Tesla e no nicho de mercado aberto pela empresa de Elon Musk.

O veículo contará com dois motores, um em cada eixo, o que lhe permite alcançar velocidades vertiginosas de até 320 km/h, mas que a empresa limitará para otimizar o rendimento da bateria. Neste componente está a chave. De fato, Lucid Motors era conhecida até agora como Atieva, uma empresa que desenvolvia pacotes de baterias.

Suas patentes fazem que os acumuladores que a empresa constrói sejam mais resistentes à degradação produzida nos ciclos de carga. Também afirmam que a densidade energética das suas baterias é 20% superior à dos seus concorrentes.

Quanto ao serviço de infotainment do veículo, contará com quatro telas OLED e um sistema para emitir comandos por voz. A empresa garante que seu automóvel estará equipado com os sensores e o hardware necessário para ser um carro autônomo, embora não atualizarão o software que ative esta funcionalidade até que a legislação não o permita.

A proliferação de fabricantes de carros elétricos

O Vale do Silício começou a fabricar carros. Tesla começou há um tempo e recentemente houve novas incorporações no mercado dos elétricos procedentes da capital da tecnologia. Faraday Future é outra das empresas que prometeram um veículo na linha dos vendidos por Tesla. Especulou-se inclusive que Apple fabricaria seu próprio carro autônomo e elétrico, ainda que as últimas informações apontam que este projeto ficará mais orientado para a parte do software.

lucidmotors2

A verdade é que fabricar um carro elétrico é muito mais simples no que se refere à mecânica do que desenvolver um de motor a gasolina ou diesel. Isto faz com que a barreira de entrada para empresas novas não seja tão alta como tradicionalmente tem sido no mundo automotivo, onde era difícil entrar.

Por outro lado, o mercado do carro elétrico está surgindo agora e os grandes grupos automotivos ainda não entraram. Tudo pode acontecer ainda. Isto faz com que uma empresa como Atieva, especializada em baterias, decida dar o salto e converter-se em fabricante de carros. A experiência que necessita para que o produto funcione convenientemente é menor do que para a fabricação de um carro tradicional, onde a mecânica pode se transformar em uma dor de cabeça sem fim. E tem a oportunidade de conseguir uma fatia de mercado por esse fator apelativo, que consiste em ser um dos primeiros.

Imagens: Lucid Motors e jcurtis4082

Texto Anterior

Como desinstalar aplicativos em Android

Como desinstalar aplicativos em Android
Próximo Texto

Tecnomedo: dados, robôs e outros medos da tecnologia

Tecnomedo: dados, robôs e outros medos da tecnologia

Recomendados