Criar uma máquina virtual passo a passo com VirtualBox

Por , 28 de Outubro de 2016 a las 19:00
Criar uma máquina virtual passo a passo com VirtualBox
digital

Criar uma máquina virtual passo a passo com VirtualBox

Por , 28 de Outubro de 2016 a las 19:00

Uma máquina virtual é a solução perfeita para testar programas e sistemas operativos, encontrar erros e muito mais sem colocar em perigo seu computador.

Você já deve de ter passado por isso mais de uma vez. Alguém lhe recomenda um programa, mas você não confia muito no programa, seja porque seu funcionamento poderia colocar em perigo seu computador ou porque você não confia na fonte do download.

Também pode ser que você queira se familiarizar com um sistema operacional, por exemplo, uma das muitas versões do Linux ou outros mais “exóticos” como FreeBSD.

Ou talvez você esteja obrigado a trabalhar com um programa antigo, compatível com uma versão velha do Windows, o que implica que seu sistema fica vulnerável a ataques externos. Daí que você queira ter a versão mais recente no computador, mas seguir usando o tal programa.

Para estes três casos, e muitos outros, a solução mais satisfatória é acudir a uma máquina virtual. Suas vantagens são múltiplas: é seguro, pode se livrar da máquina com um botão, não danifica seu computador…

O que é uma máquina virtual?

Comecemos pelo começo. O que é uma máquina virtual? Uma máquina virtual é um programa que simula ser um computador. Simula a CPU, a memória RAM, o disco rígido, a placa gráfica… Tudo isso com ajuda do próprio computador.

Isto é muito prático porque em uma máquina virtual você pode instalar qualquer sistema operacional, até mesmo se ele for incompatível com as características do seu computador. Assim, você poderá usar programas antigos, compatíveis unicamente com versões obsoletas de um sistema operacional ou testar sistemas operacionais novos sem formatar seu PC.

Por outro lado, a máquina virtual se comunica com o sistema operacional do computador com limitações, o que protege o sistema instalado no seu PC do sistema instalado na máquina virtual. Assim, é possível testar programas delicados, ver se um programa está infectado ou realizar certas operações sem colocar em perigo seus arquivos.

Inconvenientes de uma máquina virtual

Tudo isso parece perfeito, mas aporto que você está se perguntando “onde está o inconveniente de usar uma máquina virtual?”

Em primeiro lugar, executar dois sistemas operacionais ao mesmo temo (um no PC, outro na máquina virtual) supõe um duplo esforço por parte do computador. Se você não tiver muitos recursos disponíveis (CPU, RAM, placa gráfica) é possível que o rendimento de ambos se veja prejudicado. Daí que seja necessário encontrar um bom equilíbrio na configuração da máquina virtual.

Um segundo estorvo tem a ver com a própria natureza da máquina virtual. Ao ser uma virtualização, obviamente o hardware virtualizado não funciona 100% como o real. Isto afeta especialmente a aspectos como a virtualização da placa gráfica no caso de querer usar programas que consumam muitos recursos ou que necessitem aproveitar ao máximo o cartão gráfico, como ferramentas de edição de imagem ou vídeo ou videogames.

maquinavirtual2

Criar uma máquina virtual com VirtualBox

Existem diversas soluções para criar máquinas virtuais. As mais populares são VMware, VirtualBox e Parallels. As três são muito boas e cumprem com seu objetivo de sobra. Ainda por cima, cada nova versão oferece novas funções, melhoram as atuais e oferecem compatibilidade com as versões mais atuais dos sistemas operacionais compatíveis.

Para este artigo decidi introduzir VirtualBox por diversos motivos: O primeiro: é gratuito. Em segundo lugar, oferece um bom equilíbrio no consumo de memória e CPU. Em terceiro lugar, é muito fácil de usar.

Passo 1. Instalar VirtualBox

Você pode instalar VirtualBox para Windows, Mac e Linux. Basta com baixar o instalador e seguir as instruções.

Normalmente não é necessário mudar nada, mas sempre é bom ler as opções mostradas na tela para saber o que você está aceitando e aonde se guardarão as máquinas virtuais.

Passo 2. Configurar a máquina virtual

Uma vez instalado VirtualBox, você já pode criar sua primeira máquina virtual. Não há limite no número de máquinas que você pode instalar, mas o recomendável é executar de uma e uma e não várias ao mesmo tempo.

Para criar a máquina virtual, devemos clicar em Nova na janela principal de VirtualBox.

O assistente nos guiará passo a passo. Primeiro, devemos dar um nome à máquina, como por exemplo “Teste VirtualBox”. Depois escolher o sistema operacional e a versão do mesmo da lista.

Depois deveremos escolher quanta memória RAM dedicar à máquina virtual. Você vai ver que a barra de seleção marca em cor o mínimo requerido, o desejável e o optimizado. Como máximo, você pode dedicar toda a RAM, mas lembre-se que isso deixará o seus sistema operacional real sem nada e por tanto será afetado. A quantidade que aparece pré-definida normalmente é suficiente e, se você achar pouca, é possível reajustá-la uma vez testada a máquina virtual.

Também é necessário escolher o tamanho do disco virtual. Neste caso, esse disco será um arquivo que simula ser um disco rígido. É possível cria-lo de novo ou usar um já existente, no caso de usar uma máquina virtual criada com anterioridade. No que se refere ao formato desse disco, depende de se você vai usá-lo em outros programas de virtualização, fora VirtualBox. A opção padrão é VDI, a desejável se você usar unicamente VirtualBox. Também é possível definir um tamanho fixo ou dar a possibilidade de que cresça à medida que você for guardando mais arquivos. Por último, dar um nome, normalmente o mesmo da máquina.

Passo 3. Arrancar por primeira vez a máquina virtual

Você já criou a máquina. Agora é necessário iniciá-la. No entanto, ainda resta um passo importante, já que uma máquina virtual nova é como um computador novo: não tem sistema operacional.

Antes de iniciar a máquina, verifique que você tem o instalador do sistema operacional. No caso de sistemas livres como Linux, Solaris ou FreeBSD, é possível obter uma imagem ISSO gratuita desde seus sites oficiais. No caso do Windows, você vai precisar do disco físico ou da imagem ISO nas versões mais recentes.

Para que a máquina virtual detecte esse instalador ao ser arrancada, selecione a máquina virtual na janela principal do programa, faça clique em Parâmetros e no Armazenamento, fazer clique no ícone na forma de CD/DVD. Voltar a clicar no mesmo ícone da parte direita e selecionar uma das opções: usar um arquivo de disco ótico virtual (normalmente ISSO) ou o disco físico na sua unidade CD/DVD.

Depois de aceitar, só resta clicar em Iniciar e a máquina virtual arrancará como um computador comum. Você pode ver a máquina como uma janela ou em modo tela cheia. O instalador do sistema operacional o guiará passo a passo. Tenha em mente que as mudanças somente afetam a máquina virtual, não ao seu computador.

Passo 4. Outros ajustes

Depois de instalar o sistema operacional, já pode usar sua máquina virtual. Opcionalmente, você pode instalar as Guest Additions no sistema operacional virtual para melhorar a comunicação com o sistema operacional do seu PC e assim compartilhar arquivos ou melhorar o aspecto gráfico.

Esta opção é imprescindível para compartilhar pastas do seu PC com o sistema virtualizado, por exemplo.

Por último, ressaltar que você pode fazer com a máquina virtual o mesmo que com um computador e até mais. Você pode reiniciar, desligar, desconectar elementos do hardware, incluir novos componentes virtuais… E o mais prático: pausar e reiniciar depois para não ter que ligar e desligar constantemente a máquina virtual.

Imagem | Pexels (Autor: Negative Space)

Texto Anterior

Homem paraplégico recupera o sentido do tato graças a implantes cerebrais

Homem paraplégico recupera o sentido do tato graças a implantes cerebrais
Próximo Texto

Divertir-se com este jogo on-line é ajudar a combater o Alzheimer

Divertir-se com este jogo on-line é ajudar a combater o Alzheimer

Recomendados