Reino Unido testa carros autônomos nas zonas públicas

Por , 13 de Outubro de 2016 a las 19:00
Reino Unido testa carros autônomos nas zonas públicas
Futuro

Reino Unido testa carros autônomos nas zonas públicas

Por , 13 de Outubro de 2016 a las 19:00

Perto da cidade de Londres começaram a ser testados carros autônomos em zonas públicas.

Em Milton Keynes, uma localidade próxima à Londres e repleta de escritórios de empresas internacionais, carros autônomos começaram a ser testados em zonas públicas. Reino Unido já deu este delicado passo. Até agora, lá e em outros países, quando um veículo que roda confiando exclusivamente no piloto automático ia às ruas se fazia de forma totalmente vigiada. Nesta ocasião, a filosofia é diferente.

O veículo em questão é um pequeno utilitário dos denominados “pods”, com capacidade para duas pessoas e que roda num percurso circular de um quilômetro. Seu objetivo é levar os passageiros da estação de trem para a cidade e vice-versa.

Para o primeiro teste, os dirigentes locais e a imprensa acompanharam o carro em seu trajeto. Nele ia um motorista cuja função consistia em tomar o controle caso fosse necessário. Os testes foram realizados após uma planificação de ao redor de 18 meses, nos que não só se experimentou com a tecnologia de direção autônoma propriamente dito, também se criou um mapa virtual de toda a zonar para garantir que os veículos circulassem em segurança.

autonomokeynes2

Também restava esperar que a legislação permitisse o “lançamento” de veículos autônoms em zonas públicas. Neste aspecto, o governo do Reino Unido foi pioneiro. O ano passado, um relatório do Departamento de transporte já anunciou que se estavam contemplando mudanças no código de circulação para se adaptar aos carros autônomos. Vão sendo dados pequenos passos, mas o objetivo é que no verão de 2017 já se tenha finalizado a renovação da legislação vigente.

A equipe que está por trás do primeiro carro autônomo de Milton Keynes confia em que para o próximo ano já haja uma frota de 40 veículos como este circulando sem motorista. Uma parte essencial do automóvel é o software de direção autônoma que usa. Foi desenvolvido pelo Oxford Robotics Institute da Universidade de Oxford. Enquanto que a integração com todo o equipamento de hardware ficou encarregado a Oxbotica, um ramo também da Universidade de Oxford que se constituiu como empresa particular.

Seu nome é Selenium e usa os dados das câmeras e do sensor LIDAR para circular de maneira autônoma. Reino Unido espera que este software se expanda nacionalmente e até que tenha uma influência no mercado internacional. Resulta que um dos motivos pelos que o país apostou forte por estes veículos é a oportunidade de negócio que contempla neles para as empresas nacionais.

Imagens: Anne Marthe Widvey e Catapult Transport Systems

Texto Anterior

O que traz a câmera dupla nos smartphones de cada fabricante?

O que traz a câmera dupla nos smartphones de cada fabricante?
Próximo Texto

A moto da BMW que não vai precisar de capacete

A moto da BMW que não vai precisar de capacete

Recomendados