Empresa 4.0: tendências da economia digital

Por , 5 de Outubro de 2016 a las 07:00
Empresa 4.0: tendências da economia digital
Futuro

Empresa 4.0: tendências da economia digital

Por , 5 de Outubro de 2016 a las 07:00

Os três pontos sobre os que a economia digital vai crescer

A ficção científica que há tempos era território exclusivo dos cineastas chegou ao mundo da empresa para transformá-lo profundamente. Realidade aumentada, realidade virtual, big data, IoT ou assistentes inteligentes são já, entre outras tendências tecnológicas, protagonistas da empresa 4.0.

As mudanças são constantes, existe muita volatilidade, rompemos com as fronteiras dos mercados e a tecnologia passou de ser um ator secundário a estar nos holofotes de todo o ecossistema digital. Neste contexto, Deloitte apresentou recentemente o relatório “Tech Trends 2016. Innovating in the digital era“, que oferece uma interessante visão sobre o futuro do setor digital e seu impacto na empresa.

VR e AR

Há alguns anos, falar de realidade virtual ou de realidade aumentada (VR e AR, respectivamente, por suas siglas em inglês) era impensável. No entanto, hoje, num ambiente no qual os avanços tecnológicos vão tão rápido que não somos capazes de assimilá-los, VR ou AR formam parte da normalidade. De fato, este tipo de tecnologias parece que vai desempenhar um papel muito relevante na hora de definir os processos de produção e o relacionamento com as pessoas dentro da empresa. Sua aparição calou nos consumidores, que esperam já com muita expectativa os próximos lançamentos dos gigantes do setor. Chegamos a um ponto no que os responsáveis destes negócios e os diretores da IT se enfrentam ao enorme desafio de liderar a transformação digital e de aproveitar o momento de êxito destas novas soluções de AR e VR, que podem chegar a promover grandes mudanças nas áreas de negócios como comunicação, atenção ao cliente ou gestão de talento, entre outras.

economiadigitaltrends2

Internet das coisas

Se, há um ano, o big data era a tendência tecnológica mais relevante, 12 meses depois é a internet das coisas (IoT) quem ocupa o lugar. Ainda que, em um primeiro momento, as empresas com maior visão de futuro pensaram que era necessário concentrar os desenvolvimentos baseados na IoT nos dispositivos inteligentes, agora perceberam que o futuro é a prestação de serviços: oferecer um serviço que melhore a qualidade de vida das pessoas.

Através da IoT, com dispositivos conectados, é gerado uma enorme quantidade de dados que precisarão ser analisados e processados o mais rápido possível para se adiantar às necessidades do cliente. Dado que estamos num momento no que não param de aparecer mudanças nos hábitos de consumo, é muito importante que os departamentos de IT invistam em melhorar seus centros de dados e em ferramentas que potenciem as capacidades analíticas.

Os dados, o novo diamante em bruto

Já faz alguns anos que os dados passaram a ter um papel estratégico dentro da empresa. De acordo com o indicado pelo estudo realizado por Deloitte, se encontram entre as prioridades de investimento com mais impacto nas empresas.

Resulta que o xis da questão está os dados, tanto nos avanços da tecnologia ou da comunicação como na solução de muitos problemas atuais. Mas, acima de tudo, os dados servem para marcar as pautas e gerar perspectivas inimagináveis que nos dias de hoje podem até parecer inalcançáveis. O que está por vir?

Texto Anterior

O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina vai para a reciclagem

O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina vai para a reciclagem
Próximo Texto

Cibersegurança, como proteger a informação em um mundo digital

Cibersegurança, como proteger a informação em um mundo digital

Recomendados