Este mapa 3D do universo mostra 1,2 milhões de galáxias

Por , 17 de Agosto de 2016 a las 19:00
Este mapa 3D do universo mostra 1,2 milhões de galáxias
educação

Este mapa 3D do universo mostra 1,2 milhões de galáxias

Por , 17 de Agosto de 2016 a las 19:00

A representação oferecida por este mapa 3D do universo serve para fornecer mais evidências de que a energia escura está causando a expansão deste.

O programa Sloan Digital Sky Survey III se dedica a medir as ondas sonoras vindas desde os primeiros dias do universo, para captar, por dizer de alguma maneira, os últimos lampejos do Big Bang. Essas ondas sonoras deixaram traços vagos que podem ser encontrados na distribuição das galáxias. E é aí que entra o projeto BOSS (Baryon Oscillation Spectroscopic Survey), enquadrado no programa anterior, cuja tarefa é usar esses dados para rastrear a posição de galáxias ao longo do tempo.

Os cientistas do BOSS são os que criaram este mapa 3D do universo, que mostra 1,2 milhões de galáxias. Este é um mapa que representa umas dimensões assustadoramente grandes e, sem dúvida, sem limites. Aqui estão os números: 650 bilhões de anos-luz cúbicos de espaço é o que está representado. Mas não é tudo. Apenas representa a porção de espaço que poderia ser vista a partir de uma vigésima parte do nosso céu.

Foi necessário o trabalho de centenas de cientistas para traçar este mapa 3D do universo. A imagem a seguir, que poderia passar por um quadro de fundo escuro pontilhado em cores diferentes, é o próprio universo, pelo menos uma parte dele, e cada ponto representa a posição de uma galáxia (uma posição que pode vir de 6 bilhões de anos, pois este é o atraso com que temos a informação em alguns casos).

BOSS2

Na imagem são representadas 48.741 galáxias, cerca de 3% do que o projeto BOSS abrange. Dependendo da cor dos pontos indicam a distância de cada galáxia com respeito à Terra. A escala varia de amarelo, as galáxias mais próximas, ao roxo, as mais remotas. Enquanto as porções cobertas de cinza, não há nenhuma informação.

Fora o valor visual do mapa, a pesquisa realizou uma das medições mais precisas da expansão do universo, ao tempo que confirma que a energia escura está por trás desta expansão.

Reinstaurar o erro de Einstein?

Albert Einstein teve trabalho para definir a fórmula que descreve sua Teoria da Relatividade, a mais famosa de suas obras e também a mais influente de 1916. Algo estava errado até que ele percebeu que para que o universo fosse estático era necessário impor uma constante em sua fórmula. E é que ninguém pensou naquele momento que o universo poderia ser de outra forma que não estático, -um grande espaço existente no que cabia tudo.

Quando em 1929 o astrônomo Edwin Hubble mostrou que o universo estava se expandindo, Einstein teve que reconstruir sua fórmula: simplesmente removeu sua constante, o que, depois, qualificaria como o maior erro de sua carreira.

No entanto, em 1998, duas equipes de físicos descobriram que as galáxias estão se afastando cada vez mais rápido. Para explicar este fenômeno os cientistas cunharam o termo, e poliram o conceito, de energia escura, cujas bases já tinham postulando anteriormente. A verdade é que, embora sabe-se pouco da energia escura, os cientistas começaram a pensar que Einstein estava certo ao propor uma constante, embora na realidade esta serviria como uma força contrária à gravidade, definindo como a expansão do universo está acelerando . O descoberto com o projeto BOSS está indo nesta direção.

Imagens: Daniel Eisenstein (Sloan Digital Sky Survey III) e  Sergei Golyshev (is back)

Texto Anterior

Um estudo indica um vínculo entre videogames e bom rendimento acadêmico

Um estudo indica um vínculo entre videogames e bom rendimento acadêmico
Próximo Texto

Como mudar de navegador sem sentir falta das suas extensões de Chrome

Como mudar de navegador sem sentir falta das suas extensões de Chrome

Recomendados