Deveres digitais: ensine a seus filhos a copiar e colar

Por , 10 de Junho de 2016 a las 07:00
Deveres digitais: ensine a seus filhos a copiar e colar
educação

Deveres digitais: ensine a seus filhos a copiar e colar

Por , 10 de Junho de 2016 a las 07:00

A aprendizagem exploratória e autodidata será fundamental na vida profissional de nossos filhos. Temos que ensinar a eles como utilizar as ferramentas de uma maneira responsável.

Adoro ver meus filhos sentados diante do computador fazendo seus deveres de casa porque, apesar de ser uma amante dos exercícios no caderno, gosto muito de vê-los navegar pesquisando com naturalidade nesta enciclopédia do século XXI que é a Internet. Acredito que a aprendizagem explorativa e autodidata será fundamental em sua vida profissional e assim aproveito cada oportunidade para ensiná-los como lidar com isso. E isto inclui ensinar que copiar e colar a torto e a direito é um erro.

De acordo, economiza tempo. E entendo que também existam pais para quem diminuir o tempo de dever de casa seja uma prioridade. A eficiência inclui aproveitar caminhos já trilhados por outros. Mas daí a deixar que entre Google e a Wikipédia façam seus deveres, há muita diferença. Simplesmente copiar e colar não é legal, porque faz com que sejamos mais bobos e mais preguiçosos. A todo mundo, apesar de que talvez os pais já não tenham mais jeito.

Talvez porque nós também já o vivenciamos como um hábito no nosso trabalho. Receio que quando diante de uma nova tarefa, não temos dúvida em perguntar “se alguém tem algum modelo para passar” não somos conscientes do estrago que fazemos, à empresa e a nós mesmos. Porque, este genial invento de um programador de Xerox, que pretendia melhorar sua produtividade economizando tempo ao escrever um código, está se revelando uma bomba de efeito retardado.

copiarecolar2

A Internet é uma potente ferramenta educativa e de trabalho, por favor não a transforme no paraíso do copiar e colar fácil e rápido. Estamos ultrapassando os limites. Leio com surpresa como a Universidade Francisco de Vitoria, detectou que nos trabalhos de pesquisa de seus estudantes que 6 de cada 10 continham mais de 40% do texto literalmente copiado dos sites. Não perca a oportunidade de ensinar a seus filhos que a internet é uma ótima fonte de onde beber, mas que devem construir com tudo que leiam a sua própria história.

  • Porque não copiar é a única maneira que nos obriga a ler de verdade. Vocês ficariam surpresos com as frases que chegam a copiar e colar, e que muitas vezes não fazem o mínimo sentido. Eu mesma me preocupei diante do “pessimismo existencial” do meu filho de 10 anos, apesar de que logo me acalmei, ao perceber que “se observavam ecos surrealistas e a influência de Kafka”. Ufa! A cópia é incompatível com qualquer pensamento, crítico ou reflexivo.
  • Porque redigir, à mão ou à máquina, ajuda a organizar e a fixar conceitos. Quando escrevemos, deixamos de resolver com um clique para obrigar-nos a prestar atenção, uma capacidade difícil de desenvolver nestes dias. E nos obrigamos a estruturar o que estamos lendo para poder contá-lo, outra habilidade que muitos adultos ainda não adquiriram.
  • Porque realizar um trabalho é construir uma visão pessoal. Eu proponho a meus filhos, assim como eu faço quando preparo meus posts, que comecem criando um esquema com o índice do que querem contar. E que depois procurem informação para ir completando sua história. E talvez neste ponto seja um pouco mais aceitável isto do Ctrl C+ Ctrl V. Ser criativo é “ligar os pontos”, não inventar a roda.
  • Porque aos deveres devemos dedicar tempo e esforço, eu acho. Imorais me parecem estes sites que fazem seus deveres e ainda por cima se vangloriam de que ninguém perceberá. Aprender não é fácil, e é bom que seus filhos percebam isto. Um bom trabalho necessita, pelo menos, algumas tardes, e sua parte não se faz com uma foto enviada a seu colega de sala por WhatsApp. Requer muito trabalho e não há outra solução.
  • Porque o dano colateral é uma profunda superficialidade da qual é difícil escapar. Quem não lê também não aprende a escrever e como sempre escreve errado, nunca deixará de fazê-lo. O “fácil” é viciante, e é difícil sair disso.
  • Porque se nota, e muito. Copiar os delatará, porque mais cedo ou mais tarde, apagarão sem querer palavras que deixarão as frases sem sentido. Ou apagarão parágrafos inteiros, para que não fique um texto longo, deixando o pior e eliminando o melhor. E entregarão imitações absolutamente incoerentes sem perceber, porque nem farão uma leiturinha final.
  • E porque já que estamos falando disso, devemos colocar os pingos nos is, e a cópia é um plágio. Não permita que as crianças acreditem que tudo o que está na Internet pode ser copiado e utilizado literalmente sem referências. Que nunca utilizem o ‘copiar e colar’ fazendo crer que eles são os autores do texto.

Dizem os especialistas que copiamos por estresse. Que estamos tão pressionados que não temos tempo para pensar. Sim, claro! Não digo que às vezes temos que resolver alguma coisa que era para antes de ontem. Mas não façamos da necessidade uma virtude. Sem dúvida, copiar conteúdo pode ser muito produtivo e útil. Meu lema é “reutilize o já feito”… mas utilize o tempo que ganhe para estar no que faz.

A criatividade surge de combinar de uma maneira original os elementos, que já existem. Por favor, mesmo que a tentação seja grande, peça a seus filhos para não copiarem. Que se inspirem nas webs e documentos de outros tanto quanto seja necessário, e se for em várias fontes, muito melhor. Mas os obrigue a dar pelo menos uma leitura minuciosa. E se não é pedir demais, que sempre tenham o objetivo de acrescentar algo. Lembre a eles que arrumar o guarda-roupa jogando fora o velho ou o repetido também é acrescentar.

Que reescrevam com suas palavras o que encontram na Internet, que o comparem para verificar sua seriedade, que construam suas próprias conclusões. E que se acabam copiando, citem sempre suas fontes. Só assim poderão aproveitar o potencial da Internet, não só para a tarefa escolar, mas também para fortalecer sua atitude reflexiva e crítica.

Texto Anterior

SpaceX quer colocar um ser humano em Marte em 2025

SpaceX quer colocar um ser humano em Marte em 2025
Próximo Texto

O Projeto Magenta de Google compôs uma canção através da inteligência artificial

O Projeto Magenta de Google compôs uma canção através da inteligência artificial

Recomendados