Ray Tomlinson, o homem que criou o e-mail

Por , 22 de Março de 2016 a las 07:00
Ray Tomlinson, o homem que criou o e-mail
conhecimento

Ray Tomlinson, o homem que criou o e-mail

Por , 22 de Março de 2016 a las 07:00

O criador do e-mail, Ray Tomlinson, faleceu mais de quatro décadas depois de inventar o primeiro aplicativo de e-mail e o uso da ‘@’.

Se retrocedemos a uma época tão antiga como há centenas de anos antes de Cristo, as cartas já existiam. Eram utilizadas como meio de comunicação entre soberanos e dirigentes ao redor do mundo, da China até a Mesopotâmia, eram feitas declarações de guerras, pedidos de favores e eram enviadas condições de paz através das cartas escritas em papiro ou pergaminho. Os correios romanos, que formavam um dos primeiros sistemas postais organizados, levavam rapidamente as noticias sobre as campanhas bélicas nas fronteiras do Império.

Na Idade Média, os mercadores usavam as cartas para falar sobre seus negócios, especialmente os grandes grupos organizados, e depois os estados começam a estabelecer os serviços de postas. Isto deu origem a que as pessoas, no início a nobreza e depois a burguesia, escrevessem cartas sobre assuntos privados.

Em centenas de anos as cartas levaram mensagens sobre as maravilhas das viagens exóticas quando as pessoas não viajavam; serviram para que os intelectuais de cada época trocassem muita correspondência; para dar recomendações ao filho que tinha saído da casa dos pais. Os envelopes de correio “leram” as letras íntimas dos amantes e as apaixonadas dos amores não correspondidos, transferiram ofensas pessoais, desafios para duelos ou absorveram a nostalgia que nasce de sentir a falta da família ou da própria terra.

Até no final do século XX as cartas foram utilizadas para manter a amizade com aqueles amigos que se conheceram em uma viagem no verão, ou em uma estadia curta no exterior. Ray Tomlinson, foi capaz de mudar tudo isto, sem perceber o que estava fazendo, quando em 1971 inventou um aplicativo de mensagens para a rede ARPANET e escolheu o símbolo ‘@’ para separar o nome de um usuário e o nome do lugar de onde enviava a mensagem (o núcleo da rede ou servidor).

raytomlinson2

Ray Tomlinson, morreu no início de março de 2016, mas deixa atrás de si um legado difícil de ignorar. Em 1971, um Tomlinson de 30 anos de idade, nativo de Nova York, estava trabalhando em Boston, para a companhia Bolt, Beranek and Newman, um prestador de serviços do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Como ARPANET, o embrião do que em breve seria a Internet, era um projeto militar, aquele jovem nova-iorquino colocou seu tempo e astúcia a serviço desta rede.

Seu maior êxito foi adaptar o programa SNDMSG, cujo desenvolvimento tinha participado. SNDMSG era um aplicativo que permitia enviar mensagens através de ARPANET entre equipes conhecidas entre si. A adaptação de Tomlinson permitiu mandar mensagens entre usuários que estavam conectados a uma rede mais ampla, sem necessidade de que se conhecessem antes.

Isto era o e-mail. E continua sendo. A invenção de Ray Tomlinson mudou a comunicação à distância totalmente. Os serviços públicos de correios diminuíram, até chegarem a ser uma miniatura do que já haviam sido, muitas toneladas de papel são economizadas cada ano e praticamente se eliminaram invenções que agora parecem de outra época, como o fax. Já por volta do ano 2000, as crianças que faziam amigos em viagens de verão já começavam a dar o e-mail, ao invés do endereço postal.

O mais curioso talvez seja que, apesar da grande quantidade inovações que varreram a Internet desde sua criação, o e-mail –especialmente no âmbito profissional– continua sendo utilizando assiduamente.

Imagens: geralt e Wikipedia

Texto Anterior

STARS4ALL, uma iniciativa de ciência cidadã contra a contaminação lumínica

STARS4ALL, uma iniciativa de ciência cidadã contra a contaminação lumínica
Próximo Texto

A informação é poder, mas só quando você sabe como analisar

A informação é poder, mas só quando você sabe como analisar

Recomendados