Telefônica colabora com Intel na definição dos requisitos das futuras redes 5G

Por , 11 de Março de 2016 a las 15:00
Telefônica colabora com Intel na definição dos requisitos das futuras redes 5G
Futuro

Telefônica colabora com Intel na definição dos requisitos das futuras redes 5G

Por , 11 de Março de 2016 a las 15:00

Telefônica Vivo e Intel unem esforços em torno do 5G, assim como as novas funções que serão incorporadas às tecnologias LTE Advanced. O acordo permitirá oferecer aportes valiosos sobre o rendimento e a aplicação aos futuros sistemas 5G.

É mais, se você pensa que o 5G é igual ao 3G ou ao 4G porém, mais rápido, está enganado. Não é um erro muito grave, pois supõe um avanço na velocidade, mas é uma leitura muito pobre. E é que, o 5G marcará um salto qualitativo em nossas vidas.

As tarefas conjuntas de avaliação e investigação entre a Telefônica Vivo e a Intel estarão em duas áreas principais:

  • Linha de trabalho sobre os sistemas sem fio 5G, focados na Tecnologia de Acesso através de Rádio (TAR), em Redes de Acesso Rádio cell-les; nos sistemas MIMO; nas comunicações dispositivo a dispositivo (D2D); e nas tecnologias de rádio que oferecem suporte aos serviços da Internet das Coisas (IoT)
  • Linha de trabalho focada nas tecnologias de virtualização da rede para redes 5G.

Testes e pesquisas no campo Rádio

As redes 5G estão em uma fase inicial, mas o consenso dos especialistas do setor considera que a próxima geração móvel melhorará consideravelmente. De fato, o transporte de dados será 1.000 vezes superior ao atual, e permitirá aumentar o número de dispositivos conectados ao mesmo tempo entre 10 e 100 vezes, além do aumento da duração das baterias até 10 vezes mais.

5G incluirá frequências de até 100 GHz. A recomendação da utilização das frequências acima de 6 GHz encontra-se em pesquisa, pelo que o objetivo, da área de investigação de Tecnologias de Acesso Rádio de onda milimétrica é realizar testes, que possam avaliar a viabilidade, custos e aplicações do uso das bandas de alta frequência (>6 GHz) em acessos 5G.

É mais, a baixa latência do 5G faz com que seja esperada a possibilidade de novos casos de utilização, que possam ser de interesse tanto para usuários como para operadoras. Os objetivos neste sentido são duplos:

  • Validar as vantagens que a baixa latência pode proporcionar a certos aplicativos e serviços
  • Testar projetos iniciais esperados na LTE Advanced Pro, como intervalos de Tempo de Transmissão (ITT) de 0.5 ms, quando estejam disponíveis.

A possibilidade de introduzir uma nova arquitetura de Rede de Acesso Rádio, onde o usuário sempre está conectado à mesma célula se considera uma das principais no referente à arquitetura da Rede de Acesso. Em resumo, a ideia é testar diferentes soluções com a finalidade de analisar o impacto que tem na gestão da mobilidade e na capacidade nas Redes de Acesso via Rádio, e também nos níveis da rede de transporte para apoiá-la.

5Gtelefônicaintel2

Tecnologias de virtualização de rede como habilitadoras do 5G

O acordo entre a Telefônica e a Intel focará também, em temas relacionados com tal conceito:

  • A virtualização das funções de rede (NFV)
  • As redes definidas por software (SDN)
  • Os serviços de segurança, o controle da rede e os mapas de gestão
  • Os serviços na nuvem e os serviços de sinalização

Intel e Telefônica cooperarão com outras empresas, com o objetivo de fomentar um ecossistema, que permita expandir os benefícios da virtualização nas redes de acesso de rádio. A cooperação atual com empresas como Artesyn e ASOCS Networks são exemplos do ecossistema ampliado.

Enrique Blanco, Telefônica Global CTO, explica o que supõe este acordo com Intel diante da evolução das tecnologias 5G. “Temos o prazer de ter chegado a este acordo com Intel, para cooperar na definição das tecnologias de comunicações móveis da próxima geração. O 5G ainda não foi definido em termos de sua tecnologia, soluções ou arquitetura, e esta colaboração nos permitirá testar os sistemas wi-fi candidatos a ter o grau de 5G, bem como as tecnologias de virtualização de rede e as novas funções LTE, o que propiciará um conhecimento extremamente útil para a construção da rede do futuro”.

Objetivo 2020

Os cálculos apontam que o 5G começará a funcionar em 2020, ainda que antes, em 2018, coincidindo com os Jogos Olímpicos de Inverno da Coreia do Sul e o Mundial de Futebol da Rússia, passará sua prova de fogo. Até então, Telefônica e Intel, empresas envolvidas há anos nesta tarefa, continuarão trabalhando na definição dessa nova geração.

Texto Anterior

Wearables para a reabilitação de AVC e doenças cerebrovasculares

Wearables para a reabilitação de AVC e doenças cerebrovasculares
Próximo Texto

O novo de Eleven Paths no âmbito de IoT

O novo de Eleven Paths no âmbito de IoT

Recomendados