“Smart Stadiums” ou o processo de mudança para estádios de futebol do futuro

Por , 26 de Fevereiro de 2016 a las 19:00
“Smart Stadiums” ou o processo de mudança para estádios de futebol do futuro
Futuro

“Smart Stadiums” ou o processo de mudança para estádios de futebol do futuro

Por , 26 de Fevereiro de 2016 a las 19:00

Amsterdam Arena, o maior estádio de futebol da Holanda, abriu um centro de inovação, Innovation Arena, que surgiu em 2014 com o objetivo de melhorar os serviços de toda a arena de esportes através da tecnologia de várias empresas empreendedoras. O objetivo final desta iniciativa: ir dando forma ao estádio do futuro através da tecnologia e do empreendedorismo.

Em 2014, Amsterdam Arena assinou um acordo com a Huawei e outras empresas tecnológicas para fornecer o campo da maior rede Wi-Fi existente na Holanda. Assim nasceu o projeto Innovation Arena, um grande exemplo de estádio inteligente e eficiente.

Esta iniciativa, promovida pela administração do estádio e apoiada por grandes empresas tecnológicas, tem um orçamento de 60 milhões de euros para a celebração da Eurocopa em 2020. Basicamente, é uma proposta dirigida a startups para desenvolver diferentes projetos tecnológicos que estejam relacionados à melhoria da experiência do visitante no que diz respeito ao estádio. Especificamente, Innovation Arena apresenta vários desafios: melhorar a segurança, evitar e reduzir os tempos de espera, permitir opções saudáveis de comida e bebida, otimizar a experiência geral dos visitantes, etc., e tudo isso por meio da sustentabilidade e conectividade.

Para organizar e promover os desafios para os empreendedores a primeira segunda-feira de cada mês ocorrerá a reunião “Amazing Monday”, onde os organizadores do projeto apresentam os dispositivos criados pelas startups participantes em cada desafio. Aqui as empresas candidatas devem convencer a um grupo de especialistas da utilidade de seus respectivos projetos. Se a proposta for aprovada pelo júri, o participante receberá financiamento para testá-la por três meses. Se, eventualmente, gerar benefícios, servir para otimizar a experiência do visitante e contribuir para a sustentabilidade, o projeto será finalmente implantado no estádio. Em suma, um concurso de ideias parecido com o que propõe, por exemplo, o Desafio Edison da Intel, apoiado pela Telefônica Open Future e outras grandes empresas, que promovem a inovação e o empreendimento através de soluções inovadoras.

innovationarena2

Um estádio em contínua evolução

Como mencionado, o objetivo deste projeto é melhorar a experiência do usuário ao redor do estádio. Para que serve um campo de futebol? Uma pergunta muito simples que parece ter uma resposta ainda mais simples. É um lugar que abriga as reuniões do esporte mais popular do mundo, um lugar de peregrinação para os torcedores mais ardorosos, um lugar que desprende paixão e sentimentos de milhares de pessoas… Mas, um estádio tem mais usos que o mero fato de sediar jogos de futebol? A resposta é sim. E a ideia final deste projeto é obter a recriação de uma “smart city” que serve para melhorar o funcionamento do complexo e de todos os seus usuários. Uma grande abordagem apoiada por grandes empresas do setor TIC, que também fornecem ao estádio a maior rede WiFi da Holanda. Especificamente, estes são, de momento, os parceiros da iniciativa: Governo Local de Amesterdam, Huawei, KPMG, KPN, Microsoft e TNO. O objetivo comum: melhorar o funcionamento correto do recinto em diferentes áreas: energia e eficiência, entretenimento, experiência do visitante, mobilidade e acessibilidade e segurança.

innovationarena3

Em suma, o projeto Innovation Arena visa converter o estádio em um espaço multifuncional (lugar de concertos, convenções, espaço de trabalho) para se tornar o centro inovador de referência na Holanda.

Os desafios do Innovation Arena

E que tipo de serviços são suscetíveis de melhorar através da iniciativa de inovação do estádio Arena? Segundo a organização, a melhoria afetará a todos: daqueles que dão mais dores de cabeça aos fãs, como as longas esperas em filas; até a criação de um bom sistema de segurança que permite que qualquer pessoa sinta-se segura nas instalações; passando pela capacidade de se conectar on-line aos visitantes e à torcida. No total, a rede do estádio permitirá que cerca de 35.000 pessoas se conectem e desfrutem de conteúdo de alta qualidade, embora o propósito da gerência do estádio e da Huawei é que, em um futuro muito próximo o número de beneficiários do projeto atinja a completa capacidade: 53.000.

Em suma, o consumo de aplicativos e a criação da rede WiFi permitirão otimizar a experiência global do fã ou mero visitante ao estádio Amsterdam Arena. Por exemplo, um dos projetos nos que se está trabalhando agora é o desenvolvimento de um aplicativo que permitirá visualizar nos smartphones os gols e as jogadas importantes em 360º, usando todas as câmeras instaladas no estádio. Além disso, ainda em processo de investigação várias ferramentas “wearables” que coletarão dados do rendimento dos jogadores ao vivo para a torcida, mas agora, eles só estão disponíveis para o pessoal técnico.

Economia e mais renda

Na opinião do CIO do Amsterdam Arena, Henk Van Raan, é vital que quem quer que visite o estádio desfrute de uma boa experiência, que agora já é possível, porque tudo está conectado. “Os engarrafamentos nos trajetos de ida e volta, a dificuldade de encontrar estacionamento, as esperas para poder acessar os banheiros públicos… Para melhorar todas estas situações estamos inovando para que possam comprar as entradas on-line, e até mesmo permitir que os usuários possam se localizar para compartilhar veículo e agilizar o transporte, através de um aplicativo de CEPs, por exemplo. “Em fim, queremos ser um exemplo de funcionalidade como smart city para Amesterdam e o resto das cidades inteligentes do mundo. Isto é muito mais que aplicativos para os celulares dos visitantes. Queremos programar soluções para a sustentabilidade, segurança e acessibilidade do complexo”.

Além disso, uma das principais razões para a implementação deste projeto no Amsterdam Arena, além de preservar a qualidade das instalações e serviços dentro e fora do estádio, tem a ver com economia: estima-se uma redução de 20% em custos e um aumento dos benefícios de mais de 20%. “Não vemos a inovação como uma atividade, mas como uma estratégia para melhorar nosso desempenho, não só em vendas e benefícios, também em termos de imagem e valor criado para a cidade de Amsterdam” matiza Henk Van Raan.

Melhorar a experiência do visitante

Neste ponto, cabe se perguntar o quão longe pode chegar a mudança de imagem de um estádio de futebol com uma iniciativa dessa magnitude. Será um exemplo a seguir por outros complexos esportivos importantes a curto e médio prazo? De qualquer forma, Innovation Arena é mais um passo para a consolidação das “smart cities”. Que fique como exemplo.

Texto Anterior

Bett 2016: tecnologia ao serviço da educação

Bett 2016: tecnologia ao serviço da educação
Próximo Texto

Conseguem fabricar aerogel a partir de papel usado

Conseguem fabricar aerogel a partir de papel usado

Recomendados