HDMI 1.0, 1.2, 1.3, 1.4, 2.0… Quais são as diferenças?

Por , 13 de Janeiro de 2016 a las 07:00
HDMI 1.0, 1.2, 1.3, 1.4, 2.0… Quais são as diferenças?
conhecimento

HDMI 1.0, 1.2, 1.3, 1.4, 2.0… Quais são as diferenças?

Por , 13 de Janeiro de 2016 a las 07:00

Podemos apreciar uma evolução entre as diferentes versões do padrão HDMI, mas onde mais se nota o salto qualitativo é na transição para HDMI 2.0.

O HDMI é um formato standard que permite transmitir vídeo de alta definição e áudio digital multicanal através de um único cabo. Não é mais que a substituição do antigo euroconector (SCART), que ainda não foi banido de casas, embora a primeira aparição do novo standard ocorreu em 2002. Foi a versão 1.0 e, desde então, foram lançadas sucessivas evoluções até a apresentação do HDMI 2.0 há um ano. O salto qualitativo foi importante para esta última atualização, mas vale a pena olhar para trás para ver as diferenças entre as versões existentes.

Em dezembro de 2002 apareceu o HDMI 1.0. Era um tipo de conexão nova, diferente do euroconector e que pretendía refletir a transição do analógico para o digital, uma transição que ia tendo lugar naquele momento graças ao DVD e à introdução da TDT, que começava a se definir. A primeira versão oferecia uma taxa de transferência máxima de 4,9 Gbps e tinha suporte para resoluções de 1080p em larguras de banda de 60Hz. O áudio que transmitia era de oito canais e 192 kHz. Basicamente tratava-se de dar suporte ao DVD.

A versão HDMI 1.2 adiciona algumas melhorias três anos depois. A principal delas é, sem dúvida, que suporta telas e formatos de vídeo de PCs. O que dará início a uma união frutífera entre estes equipamentos e televisores que ainda hoje continuam prosperando para assistir filmes ou álbuns de fotos, embora as tecnologias sem fio estejam ganhando terreno. O suporte formato One Bit Audio é outra novidade da versão 1.2.

HDMIhistory2

Pouco depois sai a 1.3, menos de um ano mais tarde, o que dá um novo e mais decisivo impulso à tecnologia. A largura de banda é de 340 MHz e a taxa de transferência de 10,2 Gbps. Suporta cores de 10, 12 e 16 bits, bem como os formatos de áudio Dolby TrueHD e DTS-HD, usados no HD-DVD e Blue-ray. Também estabelece um novo miniconector destinado a câmeras de vídeo. Os primeiros dispositivos que exigem HDMI 1.3 para funcionar de forma fluida são o PlayStation 3 e o Xbox 360 (ambos de final de 2006).

Em 2009 chegou o HDMI 1.4, que pode transmitir resoluções de 4096×2160 pixels, ou seja, 4K. O padrão também acontece para suportar pel primeira vez vídeo 3D, o que é útil para assistir filmes, mas também para jogar jogos que tenham estas características. Também se adiciona um microconector HDMI, menor do que o anterior e orientado a celulares e câmeras digitais.

O grande salto do HDMI 2.0

Apesar da evolução constante nas versões anteriores, foi a chegada do HDMI 2.0, que renovou o standard, preparando-o para os próximos anos. A qualidade de áudio, que tinha permanecida inalterada ao longo de 11 anos, foi aprimorada para 32 canais e 1536 kHz. Permite até quatro fontes sonoras simultâneas, enquanto as outras versões só permitem uma fonte.

Também adicionou suporte para 4K, que já existia no HDMI 1.4, mas apenas a 25 ou 30 quadros por segundo. Esta frequência é válida para filmes, mas não funciona bem em videogames ou imagens com movimentos bruscos, como certos esportes transmitidos pela televisão. Com o HDMI 2.0 são obtidos até 60 quadros por segundo em resolução 4K, se bem que é verdade que é necessário um cabo adaptado a esta versão do standard.

Obviamente, a taxa de transferência também foi aumentada. De 10.2 Gbps passou para 18 Gbps. Os formatos em 3D também são suportados e passam a 25 quadros por segundo.

Imagens: Sam_Catch e PublicDomainPictures

Texto Anterior

As 5 melhores características do Windows 10

As 5 melhores características do Windows 10
Próximo Texto

Existe uma cor mais escura do que o preto?

Existe uma cor mais escura do que o preto?

Recomendados