Na certa você já usou, mas você sabe o que é roaming?

Por , 11 de Janeiro de 2016 a las 11:00
Na certa você já usou, mas você sabe o que é roaming?
Sin categoría

Na certa você já usou, mas você sabe o que é roaming?

Por , 11 de Janeiro de 2016 a las 11:00

É bastante provável que a maioria de nós já tenha feito alguma vez roaming, mas sabemos com certeza o que é roaming e como é possível que os usuários possam usá-lo? Se tentarmos defini-lo em poucas palavras, falamos de roaming quando um usuário usa o seu telefone celular através de uma rede de comunicações de um país estrangeiro.

Para que os clientes possam aproveitar o roaming, a Telefônica Vivo tem que abrir acordos de serviços GSM, GPRS e/ou CAMEL com outros operadores de outros países. Quanto maior o número de operadores com quem se abra um acordo mais possibilidade teremos de fazer roaming ao viajarmos.

Os serviços GSM e GPRS são mais conhecidos, mas poucos sabem o que é CAMEL. As iniciais CAMEL significam: Customized Apllications for Mobile Network Enhanced Logic. O objetivo do CAMEL é manter e controlar a chamada da rede Home do celular que origina a chamada. Isto tem duas vantagens:

Os usuários móveis podem usar a mesma numeração que usam na rede Home quando está em roaming em uma área onde há CAMEL. Exemplo: se um cliente da Telefônica Vivo registrado na Argentina quer fazer uma chamada para um número internacional (com exceção do Brasil) terá que fazer uma sequência +(CC)MSISDN, onde CC é o código do país (country code) e MSISDN é o número que identifica o cliente (Mobile Station Integrated Services Digital Network). Enquanto que, ao fazer uma ligação para um número do Brasil poderá discar diretamente o MSISDN.

Outra vantagem é ser capaz de descontar e verificar o saldo pré-pago, ao mesmo tempo em que se efetua a chamada, porque, como dissemos antes, a ligação sempre vai primeiro para a rede “home”.

Como são os acordos de roaming entre os operadores?

Como muitos de vocês sabem, a Telefônica Vivo opera em 24 países com marcas como a Movistar, Telefônica, O2 e Vivo. Então, por que são abertos acordos com outras operadoras estrangeiras que não são do grupo Telefônica? O principal motivo é para evitar que os clientes da Telefônica Vivo continuem sem algum serviço (áreas sem cobertura, sobrecarga na rede…). Por exemplo, no Reino Unido, temos a operadora do grupo O2 UK, mas também temos acordo com outras operadoras, como a Cable & Wireless, H3G ou Orange. O objetivo é sempre que o cliente não se veja na situação de não ser capaz de utilizar o dispositivo.

Ao fazer um acordo com outra operadora de um país estrangeiro, podemos usar uma das seguintes maneiras:

Roaming direto, na que se realiza um acordo “ponto a ponto” entre a Telefônica Viva e a operadora estrangeira (por exemplo, E-Plus Alemanha). Será Roaming IN (desde nosso ponto de vista) quando um cliente de uma operadora estrangeira use a rede da Telefônica Vivo, enquanto que roaming OUT é o caso oposto, ou seja, o cliente da Telefônica Vivo usa a rede de uma operadora estrangeira.

Roaming através do HUB conhecido pelo nome Link2One, que poderia ser definido como uma “arquitetura estrela”, em que todas as operadoras que queiram se conectam à plataforma HUB e então decidem entre elas com quem desejam abrir um acordo, sem precisar assinar acordos bilaterais.

No caso de Roaming direto IN, os procedimentos habituais desde que se negocia com a operadora até a abertura do serviço são os seguintes:

  1. O departamento de negócio de roaming da Telefônica Vivo como da operadora estrangeira negociam sobre o serviço (GSM, GPRS e/ou CAMEL) que desejam abrir. A razão para este interesse pode ser devido principalmente ao aumento dos clientes da operadora estrangeira que visitam o Brasil.
  2. Uma vez negociado, a operadora estrangeira envia cartões SIM de teste para Telefônica Vivo para poder realizar os testes.
  3. O próximo passo é configurar a rede na Espanha, com uma série de processos, dependendo do serviço que se quer abrir. Apesar de não detalhar o que é configurado, é necessário entender que a configuração é feita para que o serviço negociado só funcione com cartões de teste e no local de teste.
  4. Após a conclusão dos testes IREG aqui no Brasi, o departamento de preços gera um arquivo para verificar se foi tarifado corretamente.
  5. Se tudo correr bem, o serviço testado abrirá comercialmente na data acordada por ambas operadoras.

Uma vez que conhecemos o procedimento para abrir um acordo, podemos entender que com o Roaming HUB se reduza o custo operacional associado com o estabelecimento de acordos bilaterais.

Para Roaming OUT,o processo seria exatamente o mesmo, mas em sentido inverso.

roamingexplicação2

Texto Anterior

Um carro com base em tório com combustível para toda sua vida útil?

Um carro com base em tório com combustível para toda sua vida útil?
Próximo Texto

O que você tem que considerar antes de comprar uma smart TV

O que você tem que considerar antes de comprar uma smart TV

Recomendados